Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




14391005_10153731770532136_4283286987960403023_n.j

A citação  "Nada é por acaso", que a Roberta do blogue Flames utiliza numa das redes sociais, é a prova real de que a distância só não é curta para quem não está destinado a cruzar-se. E, neste caso, o destino assim o quis e decidiu apresentá-la ao Mundo como: metade italiana e metade portuguesa. Por esse motivo (ou porque os seus olhos estão treinados para uma análise psicológica), não me atrevo a descrevê-la através de palavras comuns. Teria de a caraterizar como a pessoa mais próxima de um ser etéreo e delicado, dotado de um encantamento qualquer, o que, pela razão atrás invocada, poderá vir a ser mal interpretado... Adiante, "entremos na espessura", ou melhor na conversa:

 

Desde que idade tens uma paixão por livros? 

R:Não sei. Desde cedo. Os meus pais liam-me histórias quando era pequena, depois a minha tia começou a ler-me os livros de “Uma Aventura”. Sempre li, mas é uma paixão que aumenta de ano para ano.

 

Qual o tipo de livro que costumas ler?

R: É mais fácil dizer o que não gosto de ler. Confesso que os meus géneros preferidos são os policiais, os romances históricos e os clássicos da literatura inglesa, mas por causa do blogue e do canal cada vez leio mais coisas diversificadas.

 

O que gostas mais durante  a leitura? 

R:A leitura é a única coisa que me faz fugir da realidade e esquecer os problemas. Essa é a coisa de que mais gosto: o facto de entrarmos num outro “mundo”. Consigo embrenhar-me e esquecer tudo à minha volta. Recentemente descobri que o desporto tem o mesmo efeito em mim, mas a leitura continua a ser a minha maior paixão.

 

Quais os fatores que influenciam a escolha de um livro? 

R: Hoje é mais difícil porque felizmente, graças ao FLAMES e ao canal, acabo por ler imensos livros e conhecer autores que se calhar nunca me chamariam a atenção. Por isso mesmo, neste momento, o que me influencia mais na escolha de um livro é o autor. Tento ir “atrás” de autores que já conheço e que sei que não me irão desiludir.

 

Descreve sentimentos que só um leitor entende. 

R: Não sei… talvez aquela sensação de querer muito chegar ao fim de um bom livro para saber o final, mas ao mesmo tempo não querer continuar porque senão acaba... acho que é daquelas sensações que a maioria dos leitores sente…

 

As histórias, por vezes, têm uma enorme carga emocional. Já alguma vez choraste ou riste? Se sim, quais foram os livros em que isso aconteceu? 

R:Sim já. Estranhamente é mais fácil eu rir do que chorar com um livro. Lembro-me que chorei imenso com o livro “A Monster Calls”. Ri bastante sempre que apareceria o Fermin no livro “A sombra do vento” e também ri em algumas partes de “A amiga genial”. Não tem nada de extraordinário, mas houve uma parte em que desatei às gargalhadas.

 

O que dizem os teus livros? 

R: Dizem que sou uma pessoa que gosta de explorar vários géneros, mas que tem claramente os seus autores preferidos que se repetem e que gosto de manter. E dizem também que devia gastar menos dinheiro a comprar livros

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


16 comentários

Imagem de perfil

De Edite a 08.01.2017 às 23:20

Isso é um bom sinal. Todos  gostam de ler! Image Se eu fizesse essa pergunta às minhas estantes, elas responderiam que cá em casa há um que prefere filmes. Image
Imagem de perfil

De Narciso Santos a 08.01.2017 às 23:21

Há que incutir a leitura quando eles são pequeninos, 3 e 7 anos e gostam de ler, é muito bom.

Comentar post






Mensagens


O que estou a ler...

Uma-Historia-de-Amor-e-Trevas.jpg

1507-1.jpg

 

 




image_6_1542295800600_1542993699397.jpg