Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O-Leitor-de-Cadaveres.jpg

Uma capa linda. Uma história dentro de várias histórias que decorrem, no século XIII, na China medieval. 

Encontrei semelhanças com «Peito Grande, Ancas Largas», de Mo Yan, pois descreve, igualmente, a pobreza, a miséria e a crueldade de que o homem é capaz. Nesse aspeto, não me trouxe nada de novo. Porém, achei chocante a descrição da castração de um menino que, se sobrevivesse, se iria tornar eunuco do imperador e melhorar as condições de vida da sua família (Infelizmente, ainda continuam a existir costumes estranhos e chocantes por esse mundo fora).

Mesmo tendo lido sobre os costumes e cultura chinesa, é um livro que prende e, ainda, surpreende.A escrita de António Garrido consegue aligeirar certos aspetos "sombrios" e cativar o leitor. A história tem muita ação e os pormenores criminais que relata foram retirados dos verdadeiros livros de Cí.

Em suma, este é um romance histórico-ficional que gostei muito e que recomendo.

 

 Cí olhou com carinho para o seu velho mestre. 

- Uma vez Íris Azul disse-me que Feng conhecia infinitas formas de morrer. E se calhar era verdade. Talvez haja infinitas formas de morrer. Mas do que tenho a certeza é que só existe uma forma de viver.

 

Sinopse:Na antiga China, só os juízes mais sagazes atingiam o cobiçado título de «leitores de cadáveres», uma elite de legistas encarregados de punir todos os crimes, por mais irresolúveis que parecessem. Cí Song foi o primeiro. Inspirado numa personagem real, "O Leitor de Cadáveres" conta a história fascinante de um jovem de origem humilde que, com paixão e determinação, passa de coveiro nos Campos da Morte de Lin’an a discípulo da prestigiada Academia Ming. Aí, invejado pelos seus métodos pioneiros e perseguido pela justiça, desperta a curiosidade do próprio imperador, que o convoca para investigar os crimes atrozes que ameaçam aniquilar a corte imperial. Um thriller histórico absorvente, minuciosamente documentado, onde a ambição e o ódio andam de mãos dadas com o amor e a morte, na exótica e faustosa China medieval. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


1 comentário

Imagem de perfil

De alexis a 29.05.2017 às 15:14

O livro parece ser muito interessante, tenho que apontar o nome!

Comentar:

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






Mensagens


O que estou a ler...

 

image (1).jpg

 

 

 

 

 




image_6_1542295800600_1542993699397.jpg