Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




20210314_110856.jpg

Sinopse: aqui.

Opinião:

Em entrevista dada pela jornalista Claúdia Rodrigues é referido que esta adora ler desde sempre e que escreveu este livro porque se comoveu "com a capacidade de as mães de levar tudo à frente por causa de um filho".

Em "A Espera de Fernanda", a mãe vive à espera de justiça para o seu filho e nunca desiste de procurar a verdade, pois o seu filho saiu de casa para o trabalho, e apareceu, dias depois, morto num pinhal, em circunstâncias no mínimo suspeitas, embora consideradas pela polícia como suicídio.

Como não conhecia esta história, nem Fernanda nem Joaquim, os pais do jovem de 24 anos, de nome Fernando da Cruz, fui ao longo do livro, ansiando e  esperando por um desfecho, por um desenlace que trouxesse alguma paz a esta mãe incansável, a qual nunca acreditou na versão da polícia e encetou várias diligências ao seu alcance para que analisassem o caso como homicídio. No entanto, a corrupção acabou sempre por decepar as expetativas destes pais que procuraram sempre descobrir a verdade, com base em provas irrefutáveis. Perante isto, o leitor não conseguirá ficar indiferente. Eu não fiquei, pois, ao longo desta leitura, senti a dor de Fernanda, a sua coragem e força de vontade em não desistir em momento algum, mesmo perante as adversidades que vão acontecendo. Uma verdadeira lutadora. Uma pessoa simples. Uma pessoa bondosa que criou o seu filho de forma honesta para que este seguisse só os bons princípios. Pessoas de bem, é a definição que me vem à cabeça.

Na minha opinião, esta história prende a atenção desde o início, porque é baseada em factos reais e documentos genuínos, e porque o preenchimento de espaços vazios na narrativa, recorrendo à fição, nem sequer se chegam a notar.

A escrita é fluída, o que torna a leitura simples e rápida, e descreve uma realidade que nos revolta pela inércia propositada da polícia e do sistema judicial, sendo de todo impossível ficar indiferente a esta história verídica e não reagir a esta leitura com sentimentos de revolta e de sentido de Justiça.

Gostei bastante da história e, ainda, da capa, simples e bonita, escolhida para este livro.

 

Classificação: 4/5*

 

Livro oferecido pela editora para opinião


3 comentários

Imagem de perfil

De Edite a 11.04.2021 às 21:43

Olá, Sofia. 
Não é a história de Rui Pedro mas de Fernando da Cruz, um jovem com 24 anos. 
Bjs

Comentar post








Instagram