Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




As ideias surgem donde menos se espera e são como a água dos rios que passa acelerada em direçao mar; são as asas das aves que imigram para os países quentes e, por vezes, só as vemos de ano a ano. 

As ideias saiem disparadas, sendo importante agarrá-las com força sob pena de se desvanecerem.

Para perceberem a conclusão óbvia de hoje, têm de olhar primeiro para este post, da nossa querida Mulinha, e para um dos desafios extra da Maratona Literária de Verão (aqui), mais concretamente, "Tirar uma fotografia que mostre o quanto os livros te fazem feliz".

Aparentemente, os post´s são totalmente diferentes, mas eu, em modo de nostalgia, inspirei-me no post da Mulinha, acionei a minha arte criativa e fui buscar um tesourinho para demonstrar a alegria e orgulho que tenho nos meus tesouros livrescos.

Claro que tenho noção de que os post´s sobre livros estão muito atrasados, porém, esta minha veia pensadora, não pode deixar de partilhar convosco o seguinte:

 

"O amor é cego e isso também se aplica ao amor pelos livros".

(Nina Sankovitch)

 

Contrariamente à Mulinha, que tem um lindo vestido que ainda lhe serve na perfeição, nesta sessão arrojadamente embaraçosa verifiquei que não consigo fechar o fecho do  meu vestido de noiva. Mas isso não importa nada porque o que eu gostaria de saber não é se o amor é cego, mas sim se o amor pelos livros:

a) faz engordar;

b) faz perder a memória e a noção do tempo que passou (19 anos, para ser precisa);

c) leva a fazer figurinhas tristes;

d) é uma forma de diversão.

 

Qual acham que é a resposta certa? 

 

36270706_1923785147661061_5058476085952380928_n.jp

 

 

 

 

35634152_10155231592362136_7725338399501975552_n.j

"O verão está instalado no meu coração".

Clarice Lispector

 
Oh Verão, onde andas que mal te vi chegar? Costumo ver-te no silêncio da praia, pelo menos de manhã, e nessa altura a maresia, fresca, perfuma o ar. É a época feliz de despreocupações e de leituras sublimadas pelo relaxante tempo livre.
Então e onde está a loucura, perguntam vocês daí?
Pois, não sei, mas talvez na parte de aproveitar ao MÁXIMO o que mais gosto de fazer, LER, mesmo estando a trabalhar. Quero dizer, nada de confusões, eu não leio no trabalho, mas bem que gostava :), acho que vou ter de organizar muito bem o meu tempo livre.
 
Falando, portanto, em loucuras (das boas), como ando a ler mais do que é habitual, resolvi aceitar o convite para a Maratona Literária Palavra de Verão organizada pela Roberta do blog Flames e pela Cristina do Linked Books.  Esta Maratona é baseada em palavras relacionadas com Verão. Cada livro só pode contar para apenas  para um desafio e o objetivo será o de ler o maior número possível de páginas (para se poder habilitar a ganhar um dos prémios) entre 22 de junho e 22 de setembro.
Além disso, quem conseguir fazer todos os desafios extra ganha um bónus de 250 páginas lidas.
 
Parece-vos bem? Na realidade, eu achei que sim, principalmente quando descobri que na minha estante existiam TODOS os livros necessários paras as 21 categorias. Portanto, bora lá que não há tempo a perder...
 
 
 
DESAFIOS GERAIS
 
1 - Água- Um livro que tenha elementos de água na capa -  Arquipélago,de Joel Neto 
2 - Amigos/família - Um livro emprestado ou recomendado por um amigo ou familiar - Para onde vão os guarda-chuvas, de Afonso Cruz
3 - Aniversários/Festas/Bailaricos - Um livro que foi oferecido ou que gostaria que me tivesse oferecido - O meu ano mágico, de Nina Sankovitch
4 - Aventuras/Comboio/Passeio - Um livro de um género literário que nunca li ou que raramente leio -Laranja Mecânica, de Anthony Burgess
5 - Azul - Um livro cuja capa seja maioritariamente azul - A volta ao mundo em 80 dias, de Júlio Verne
6 - Caipirinha - Um livro de um autor brasileiro ou cuja acção decorra no brasil - Verónica decide morrer, de Paulo Coelho
7 - Calor - Um romance, uma história de amor ou um livro erótico- O Despertar, de Kate Chopin
8 - Campo/Rios/Serras - Um livro cuja acção se passe maioritariamente na natureza ou cuja capa tenha elementos da natureza - O outro lado do Paraíso,de Paul Theroux
9 - Churrasco/Grelhados/Convívios/Esplanadas - Um livro cuja capa ou título tenha coisas de comer ou de beber - A quinta dos animais, de George Orwell
10 - Cor - Ler um livro LGBT - Amor Livre, de Ali Smith
11 - Descanso - Um livro que já tenha para ler há muito tempo - Shantaram, de Gregory David Roberts
12 - Diversão - Um livro do meu género favorito - Os enamoramentos, de Javier Marias 
13 - Férias - Um livro com menos de 100 páginas - Morte en Veneza, de Thomas Mann
14 - Gargalhadas/Boa Disposição - Um livro de humor, cómico ou divertido - M*rdas que o meu pai diz, de Justin Halpern
15 - Livros/Ler - Um livro de um dos meus autores favoritos - O filho de mil homens, de Valter Hugo Máe
16 - Mar/Pescadores/Passeios de Barco - Um livro cuja capa tenha um animal aquático - Nem todas as baleias voam, de Afonso Cruz
17 - Noitadas/Noites na rua - Um livro de vampiros, de terror, um livro negro ou um livro cuja capa seja maioritariamente preta - Adão e Eva, de António Parada
18 - Paz - Um livro com a palavra PAZ no título, ou cujo título tenha letras com as quais se pode formar a palavra PAZ- Quem disser o contrário é porque tem razáo, de Mário Carvalho 
19 - Sangria - Um livro de um autor espanhol ou cuja acção se desenrole em Espanha - Paixão Índia, de Javier Moro
20 - Sol - Um livro cuja capa seja maioritariamente amarela, com SOL no título ou cujo título tenha letras com as quais se pode formar a palavra SOL - Vozes de Chernobyl, de Sevetlana Alixievitch
21 - Viagens/Regresso ao País - Um livro passado num país que já visitei, que gostaria de visitar ou passado no teu país natal - As partículas elementares, de Michel Houellebecq.
 
DESAFIOS EXTRA
 
A cada desafio extra acrescem 25 páginas na contabilização final. 
1.Praia/Piscina 
Tirar uma fotografia na praia ou na piscina com o livro que estão a ler no momento.  
2.Alegria/Sorrisos/Felicidade
Tirar uma fotografia que mostre como os livros te fazer sentir feliz.  
3.Piqueniques 
Tirar uma fotografia do teu livro a fazer um piquenique 
Elementos obrigatórios: uma toalha de piquenique e o livro do momento.  
4.Ar livre/Céu azul 
Troca um livro numa cabine de leitura, requisita um livro numa biblioteca ao ar livre ou compra um livro numa feira de rua/banca/quiosque.  
5.Gelados 
Tirar uma fotografia com o gelado favorito e o livro.
 
 
Nota: Alguns livros poderão vir a ser substituídos por outros, até porque quero divertir-me com estas leituras todas.
 
 

No outro dia, fui ao centro comercial e vi uma rapariga sentada numa mesa a ler um livro. Nada fora do normal e deveria seguir o meu caminho encantada com as minhas compritas. Quando tomo consciência do local onde me encontro fico em estado de choque (e a duvidar do meu perfeito juízo), uma vez que (não sei como, acho que as pernas me levaram, ou os pés, claro) dei por mim a seguir um trajeto que resultou num ligeiro desvio, aproximando-me mais do que devia, só para ver se conseguia ver o título do livro.

Que figurinha!!!

E vocês, já tiveram uma curiosidade assim tão forte?

Deixo-vos um vídeo para pensaram melhor sobre o assunto.

 

 

 

 

 

Os livros não se medem pelo tamanho e eu adoro histórias que se leem num dia. Pensado nisso, selecionei 15 livros com poucas páginas ou, para ser mais precisa, em que a leitura é muito rápida - e em que nem se dá conta do tempo passar.

 

1- Farenheit 451

transferir (1).jpg

Guy Montag é um bombeiro. O seu emprego consiste em destruir livros proibidos e as casas onde esses livros estão escondidos.

 

 2-Boneca de Luxo

20448382_UQKVJ.gif

Holly Golighly é mais do que uma boneca de luxo. Deslumbrante, espirituosa e ternamente vulnerável, inquietando as vidas dos que com ela se cruzam.

 

3-Os livros que devoraram o meu pai

7889767.jpg

Vivaldo Bonfim é um escriturário entediado que leva romances e novelas para a repartição de finanças onde está empregado. Um dia, enquanto finge trabalhar, perde-se na leitura e desaparece deste mundo. 

 

 

4-A quinta dos animais

quinta.jpg

Esta história é uma fábula em que os animais são personificados, possuindo carateristicas e comportamentos dos humanos.

 

 

5-Vamos comprar um poeta

500_9789722127998_vamos_comprar_um_poeta.jpg

Numa sociedade imaginada, o materialismo controla todos os aspetos das vidas dos seus habitantes. Todas as pessoas têm números em vez de nomes, todos os alimentos são medidos com total exatidão e até os afetos são contabilizados ao grama. E, nesta sociedade, as famílias têm artistas em vez de animais de estimação. 

 

6-O tigre branco

images.jpg

Toda a obra é uma longa carta dirigida ao Primeiro-Ministro chinês, escrita ao longo de sete noites. O autor da carta apresenta-se como o tigre branco do título, e auto-denomina-se um "empreendedor social". Descrevendo a sua notável ascensão de pobre aldeão a empresário e empreendedor social, o autor da carta, Balram, acaba por fazer uma denúncia mordaz das injustiças e peculiaridades da sociedade indiana. 

 

7-O rapaz do pijama às riscas

pijama.jpg

Ao regressar da escola um dia, Bruno constata que as suas coisas estão a ser empacotadas. O seu pai tinha sido promovido no trabalho e toda a família tem de deixar a luxuosa casa onde vivia e mudar-se para outra cidade, onde Bruno não encontra ninguém com quem brincar nem nada para fazer. Pior do que isso, a nova casa é delimitada por uma vedação de arame que se estende a perder de vista e que o isola das pessoas que ele consegue ver, através da janela, do outro lado da vedação, as quais, curiosamente, usam todas um pijama às riscas. Como Bruno adora fazer explorações, certo dia, desobedecendo às ordens expressas do pai, resolve investigar até onde vai a vedação. É então que encontra um rapazinho mais ou menos da sua idade, vestido com o pijama às riscas que ele já tinha observado, e que em breve se torna o seu melhor amigo…

 

 

8-O Velho e o mar

o velho e o mar.jpg

Santiago, um velho pescador cubano, está há quase três meses sem conseguir pescar um único peixe, quando o seu isco é finalmente mordido por um enorme espadarte. O peixe imponente resiste, arrasta a sua canoa cada vez mais para o alto mar, na corrente do Golfo, e obriga a uma luta agonizante de três dias que o velho Santiago acabará por vencer, para logo se ver derrotado. 

 

 

9-O alienista

350x (1).jpg

 

 Quando o Dr. Simão Bacamarte, médico psiquiatra, homem da ciência, constrói um asilo em Itaguaí, nada faria prever os acontecimentos que lhe sucederam. "Eram furiosos, eram mansos, eram monomaníacos, era toda a família dos deserdados do espírito." Mas quem eram, afinal, os loucos? 

 

 

10-A morte de Ivan Ilitch

350x (2).jpg

Este livro tão breve, uma das maiores obras-primas do espírito humano, tem sido, desde a sua publicação, um motivo de controvérsia para a crítica: trata-se de uma obra sobre a morte ou de uma obra que nega a morte?.

 

11-Maresia e Fortuna

maresia.jpg

Para Eduardo, de 17 anos, o amor é a mãe e o irmão mais velho, Simão. Este, porém, tem um segredo que o empurra para a bebida e Eduardo receia que o seu irmão se suicide, tal como o pai de ambos o fizera, dez anos antes.

Júlia acredita que passou ao lado de um grande amor. Em busca da verdade que mudará a sua vida, regressa à vila de Apúlia para reconstruir um passado de que não se consegue recordar.


 

12-Pena de viver assim

350x (3).jpg

A protagonista, que se torna tema central do conto, é a senhora Leuca, uma mulher abandonada pelo marido durante onze anos. A sua nostalgia e a sua dor são contínuas e fazem com que ela assista ao desenvolvimento da sua própria vida sem ter poder de intervenção. 

 

13-O Estrangeiro

350x (4).jpg

Meursault recebe um telegrama: a mãe morreu. De regresso a casa após o funeral, enceta amizade com um vizinho de práticas duvidosas, reencontra uma antiga colega de trabalho com quem se envolve, vai à praia - até que ocorre um homicídio. 

 

 

14- A metamorfose

A-Metamorfose.jpg

«Certa manhã, ao acordar após sonhos agitados, Gregor Samsa viu-se na sua cama, metamorfoseado num monstruoso insecto.» 

 

15- História de uma gaivota e do gato que ensinou a voar

1540-6.jpg

Esta é a história de Zorbas, uma gato grande, preto e gordo. Um dia, uma formosa gaivota apanhada por uma maré negra de petróleo deixa ao cuidado dele, momentos antes de morrer, o ovo que acabara de pôr. Zorbas, que é um gato de palavra, cumprirá as duas promessas que nesse momento dramático lhe é obrigado a fazer: não só criará a pequena gaivota, como também a ensinará a voar.

 

*Excertos das respetivas sinopses.

Neste momento estou a visualizar o tradicional revirar de olhos quando penso nas colegas assim que contasse isto no trabalho. São ideias que surgem do nada. Palermices. Bagatelas. Historietas. Um ror de disparates pegados. Mas são apenas ideias. Porque é que dizem que temos liberdade de expressão e afinal não podemos falar de tudo? Porquê? Quantas vezes terei de ouvir: «Oh, edite, lá estás com as tuas teorias?». Se tiverem um pouco de paciência comigo poderão entender a conclusão óbvia desta semana, pode ser?

 

As aulas de zumba divertem-me. O exercício é extenuante, mas o ritmo das músicas puxa por mim e nem me apercebo do esforço que faço durante cerca de 50 minutos de aula. Muitas dessas músicas eram, para mim, desconhecidas, só que aos poucos foram ficando no ouvido. Algumas são bastante atrevidas e sexys, a julgar pelo menear de ancas (não só mas também) das raparigas que ficam na minha frente. As letras, então, são bastantes escandalosas e provocadoras. É aqui que sinto que pertenço ao século passado, só que, depois de me debruçar sobre esta perspetiva desanimadora (relativa à minha idade), concluo que a humanidade não mudou tanto assim.

 

Madame Bovary, diz-vos alguma coisa? Não?

O romance foi publicado em outubro de 1856 e conta a história de Emma, uma mulher sonhadora pequeno-burguesa, criada no campo, que aprendeu a ver a vida através da literatura sentimental. Bonita e requintada para os padrões provincianos, casa-se com Charles, um médico viúvo.

Gustave Flaubert foi absolvido da acusação contra seu livro Madame Bovary, considerado imoral pelas autoridades francesas, uma vez que o romance aborda o adultério.

 

Quando ouvi o «Faz gostoso» da Blaya estabeleci uma ligação a Madame Bovary . Qual é, perguntam vocês?

 

É um escândalo dançável tal como Madame Bovary foi um escândalo na literatura [já estão a revirar os olhos, não estão?]

 

E o pior que ele é safado e ainda por cima é carinhoso
Ele faz tão gostoso, ele faz tão gostoso
Por isso que ele não se casa, e na minha casa é perigoso
Porque ele faz tão gostoso
Ele faz tão gostoso
Ele sabe que eu sou casada e até amo meu esposo
Mas ele faz tão gostoso, ele faz tão gostoso

 

Terra-de-Neve.jpg

 

Opinião: Terra de Neve é daqueles livros em que olhamos para a capa e achamos que não é nada apelativa (a capa da fotografia é bem melhor do que a edição que li da Biblioteca Sábado). Depois o tema - sobre gueixas, tradições e paisagens do Japão - não incentiva. Eu, contra mim falo, não me apetecia nada ler este livro, mas tive de o fazer. Em janeiro, deste ano, escolhi-o por ser pequeno e para cumpir o tema de ler um livro escrito por um autor asiático para o clube de leitura conversas livrásticas. Náo sei se sabem, mas Terra de Neve é muito conhecido porque o escritor ganhou o prémio Nobel em 1968. 

 

Quando comecei a ler o primeiro capítulo, fiquei admirada com a capacidade descritiva do autor. A forma como descreve o simples reflexo de uma mulher no vidro da carruagem do comboio é sublime. Uma coisa que julgamos banal transforma-se. Somos nós que estamos ali e conseguimos ver a imagem de uma mulher jovem, bonita e misteriosa. Nesta passagem senti que estava lá, tal a quantidade de detalhes que vão sendo dados para descrever as personagens.

 

O nosso Eça de Queirós fazia descrições minuciosas dos objetos e dos lugares, mas as descrições de Kawabata resultam, a meu ver, melhor, criando um ar de mistério e de reflexão. No entanto, em termos de desenvolvimento da história e dos personagens o nosso Eça vence sem margem de dúvida. 

 

Terra de Neve é a história de Shimamura, um homem de Tóquio, casado, que conhece a geisha Komako numa viagem ao interior norte Japonês. Ano após ano, durante três anos, visita a região da montanha para descansar nas termas e encontrar-se com Komako. A relação deles é de suposta amizade. Cada um está preso ao seu papel. Cada um possui sentimentos e expetativas diferentes.

 

Terra de Neve é uma leitura difícil, dizem, mas o que me desencantou foi o facto de Yoko (a jovem do reflexo no comboio) não ter um outro desenvolvimento. Esperei mais. 

 

CLASSIFICAÇÃO:

3 estrelas.png

20180610_125357-01.jpeg

 

 

| Introdução |

 

Os blogs FLAMES, O Livro Pensamento, Livros de Vidro, Insustentável Leveza, Na Samarra e Lendo & Ilustrando associaram-se este ano aos 7 Dias com os Media 2018, promovido pelo GILM – Grupo Informal sobre Literacia para os Media, um grupo que junta instituições como a Comissão Nacional da UNESCO, o Plano Nacional de Leitura 2027 e a Rede de Bibliotecas Escolares, entre outras.

Hoje em dia, há cada vez mais blogues e a sua importância é cada vez maior. Isso leva-nos a refletir até que ponto os blogs influenciam a nossa leitura. A internet faz o conhecimento chegar mais depressa a mais pessoas. O que isso nos muda? Será melhor a partilha virtual de opiniões ou a participação em clubes de leitura?

Para responder a estas perguntas criámos um pequeno inquérito, porque a opinião dos leitores é importante.

 

| Método |

 

Foi criado um pequeno inquérito que foi partilhado nas redes sociais. A amostra foi recolhida por bola de neve.

 

| Resultado |

 

A amostra foi constituída por 58 sujeitos (84.7% do sexo feminino e 15.3% do sexo masculino). A média de idades foi de 37.61 (DP = 11.49; min 19-70 máx). Relativamente à participação num clube de leitura, a maioria não participa, como se pode constatar no gráfico seguinte:

 Figura 1.gif

Figura 1 - Participação num clube de leitura

 

Figura 2.gif

Figura 2 - Percentagem de respondentes com blogue 

 

  A maioria dos respondentes tinha um blog de leitura.

 

teste.gif

 Figura 3 - Percentagem de tipos de blogs

 

A maioria da amostra (58.6%) acha que as pessoas que participam num clube de leitura leem mais, e que ter um blog pode ajudar a escrever melhor (84.5%).

As escolhas de leitura da amostra são influenciadas maioritariamente por um blogue e clube de leitura (31%), ou um blogue (27.6%).

Figura 4.gif

Figura 4 - As tuas escolhas são influenciadas pelas escolhas de...

 

Uma grande parte da amostra segue blogs, mas só às vezes partilha conteúdos nas redes sociais.

Figura 5.gif

 Figura 5- Costumas seguir blogs ...

 

 

| Conclusão |

 

Feita a análise dos gráficos antecedentes conseguimos extrair algumas conclusões face à relação entre os os blogs, os clubes de leitura e os leitores.

Num mundo cada vez mais digital assistimos à importância cada vez maior que assumem os media, principalmente dos media que surgem na internet. Dentro destes surgem também os blogs literários que, como vimos, influenciam em grande medida as escolhas dos leitores comuns. Cada vez mais os leitores, ou alguém que queira esporadicamente ler um livro, deixa de comprar por impulso procurando no imediato, até dentro de uma livraria, pela opinião online de blogues sobre determinado título.

Para incentivar a leitura todos os meios são válidos e os blogs literários são as cobaias no que toca à divulgação de novidades e leitura de livros. Muitos são os leitores que antes de se lançarem de cabeça na compra de um livro, aguardam pelas opiniões no mundo digital e dos media. Outros preferem os clubes de leitura por permitirem um contacto pessoal e próximo, bem como a partilha de opiniões e temas interessantes.

Se os blogs literários permitem difundir opiniões mais rapidamente e são facilmente acessíveis, os clubes de leitura permitem um debate in loco, frente a frente, aliciante, permitindo ainda trocas de opiniões sobre o mesmo livro ou livros diferentes que suscitam a curiosidade.

Da amostragem apresentada, revela-se que ainda há alguma relutância em participar em clubes de leitura, mas que metade dos leitores possui blogs. No entanto, a maioria considera que participar num clube de leitura se traduz num maior número de “leituras”, o que não terá necessariamente de corresponder à verdade. À luz desse raciocínio podemos retirar a ilação (algo preocupante) de que o fator dissuasor para a participação de mais leitores nestes clubes surge da ideia de que terão de ler muito mais do que o seu desejo ou a sua disponibilidade.

Outra conclusão que se retira é a de que a maioria dos participantes seguem blogs, mesmo que não partilhem os seus conteúdos.

Assim, com este projeto, podemos concluir que os media têm assumido cada vez mais importância no mundo da literatura, num país que ao longo dos anos se tem mostrado envergonhado no que concerne aos hábitos saudáveis de leitura. Os media, mais concretamente os blogs literários, enquanto veículos de comunicação digital, têm vindo a desbravar caminho e a estimular hábitos de leitura e até na própria escrita.

Cada vez mais se alcançam e conquistam mais pessoas e mais leitores, o que demonstra a sua importância para a literacia na sociedade contemporânea.

 

cropped-Untitled-3.png

Blogs associados:

 

FLAMESmr (http://flamesmr.blogspot.pt/),

Insustentável Leveza 2 (https://sabine77.wordpress.com),

O Livro Pensamento (https://olivropensamento.blogs.sapo.pt/),

Lendo & ilustrando (https://marianafloresilustra.wordpress.com),

Livros de Vidro (https://livrosdevidro.wixsite.com/livrosdevidro),    

Na Samarra (http://nasamarra.blogspot.pt/).

Os meus post´s têm andado a uma velocidade bipolar. Acho que andam à boleia num comboio que para em quase todas as estações. Mas a esta velocidade de quero-tanto-quero-tanto trava no apeadeiro, sinto que recusa-se a seguir caminho. Já as leituras estão bem encaminhadas e alheias a tudo isto. 

Esta é apenas uma forma de explicar as coisas, claro, e de vos colocar a par de algumas leituras que fui fazendo.

Portanto, durante os meses de Janeiro, fevereiro e março li 12 livros e em abril e maio li 17 livros (não estão todos na foto), ou seja, li muito mais em dois meses do que nos três meses anteriores. E vocês, o que têm lido? 

leituras concluidas.jpg

 Lista de livros lidos desde o mês de janeiro até ao mês maio:

1-O Perfume da Savana - Ludgero Santos

2-O Tigre Branco - Aravind Adiga

3-Terra de Neve-Yasunari Kawabata

4-A encomendação das almas -João Aguiar

5-Kyoto -Yasunari Kawabata

6-Cemitéro de Elefantes-Dalton Trevisan

7-A morte de Ivan Ilitch-Lev Tolstoi

8-Os livros do final da tua vida-Will Schwalbe

9-A Paixão de Jane Eyre - Charlote Brontë

10-Pecados Santos-Nuno Nemupoceno

11-A Sociedade Literária da Tarte de Casca de Batata-Mary Shaffer

12-A História de uma Serva-Margaret Atwood

13-Um Homem Chamado Ove - Frederik Bakman

14-A vida secreta das abelhas-Sue Monk Kidd

15-Código D´Avintes-vários autores

16-Maresia e Fortuna - Andreia Ferreira

17-O Alienista-Machado de Assis

18-Vasto Mar de Sargaços-Jonh Rys

19-Quero-te Morta-Peter James

20-O exército perdido-Paul Sussman

21-A livraria Noite e Dia do Senhor Penumbra-Robin Sloan

22-Frankenstein-Mary Shelley

23-Arroz de Palma-Francisco Azevedo

24-A avó pede desculpa- Frederik Bakman

25-Uma mulher não chora-Rita Ferro

26-Um Castigo Exemplar-Júlia Pinheiro

27-Tim- Collen Mccullough

28-À espera no centeio - J.D Salinger

29-Cartas de amor aos mortos-Ava Dellaira

Post´s zero

04.06.18

leituras concluidas.jpg

 





Mensagens