Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Começo este post por agradecer à equipa do Sapo pelos destaques, durante o mês de outubro, aos seguintes post´s:

 

Um acórdão e um desabafo mal amanhado;

Na biblioteca não se perca;

Quando o cuco chama, de Robert Galbraith. 

 

Já quanto às semelhanças, lamento mas vão ter de ler o post até ao fim. Combinado?

 *** 

Vocês sabem que os gatos são imprevisíveis e que os felinos fazem parte da vossa vida [para vos dominar]? Realmente, vocês humanos têm de se mentalizar que se trata de um compromisso para o bem e para o mal.

A minha dona, por exemplo, anda nesta dualidade incessante e tanto diz "gatinho fofo, meu bebé" como também grita "gato mau, andas a irritar-me!". Mas os humanos costumam derreter-se quando nos vêem.

Eu, gato de provecta idade, costumo miar a categoria de donos que podemos ter, desde amorosos, racionais, emocionais, otimistas e aos que não são carne nem peixe.

 

Os amorosos

São donos muito simpáticos e de bem com a vidinha. Passam a mão pelo nosso pêlo e brincam. Somos muito importantes para eles e metem-nos nas conversas dos amigos.

 

Os racionais

Deixam-nos correr atrás dos ratos, vocês acreditam? Apesar disso não simpatizo com estes donos. Só nos querem para este trabalho e não nos ligam nenhuma. Quando é para dizer mal, rsrsrs, só falam da despesa com a comida.

 

Os emocionais

Neste grupo estão as mulheres que vivem sozinhas e precisam da companhia de um gato. São donos execionais que nos tratam com muito carinho e preocupam-se muito com o nosso bem-estar.

 

Os otimistas

São os melhores donos do mundo! Gostam de nós, brincam e falam connosco. Podemos andar pela casa toda, sem problemas. 


Os que não são carne nem peixe

Neste grupo incluo os homens que são convencidos, pela mulher ou pelos filhos, a ter um gato. São donos muito distraídos e pouco preocupados, mas, por vezes, tornam-se otimistas.

 

[A minha dona é emocional, mas quando tem sono ninguém a atura].

 

Queria tanto agradar-lhe, falar a linguagem dos humanos e poder-lhe chamar ...

 

Voltando à semelhança dos donos de gatos com o Sapo. É assim. A semelhança reside na grande afinidade do SAPO com os donos otimistas porque:

 

"são os melhores donos do mundo! Gostam de nós, brincam e falam connosco e deixam andar pela casa toda, sem problemas". 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Era preciso mudar. Aqui, em casa, fizeram-se arrumações de roupa e limpezas. Ai, a preparação para o Outono e a novas temperaturas!!!Pruuu. Pruuu. O maior problema, dizem os humanos, é que nesta altura aumenta a queda de cabelo e, claro, de pelo. Ah, ainda bem que este ano me livrei da tosquia habitual. Pruuu. Pruuuu. Também não pode ser todos, todos, os anos. No entanto, acho que os humanos encomendaram um aspirador de gatos como este aqui. É, dizem que é mais higiénico e que facilmente se livram do problema. A miar vamos!

Neste fim de semana, tracei dois planos: Plano A, ficar em casa; e o Plano B, não foi necessário, porque o Plano A nunca falha. Fiquei então em casa e conversei com a Pipoca (acho que já esqueceu o Amado gato da vizinha). Ela não queria, mas tem de admitir que precisa de alguém como eu. Aliás, acho que nem é necessário comprar aspirador.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Vou fazer uma pausa e prometo voltar assim que possível. 

Boas Leituras e Boas Férias.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

cansado-de-estar-cansado.jpg

Esta semana não tenho muito para contar. Só uma coisinha. Nada de importante. Nem sei se fale nela. Não interessa mesmo nada.

Sou um gato educado e nem costumo cometer inconfidências, mas miau... custa um bocado não ter ninguém com quem desabafar. O Amado gato falou tudo o que quis e lhe apeteceu e ando um bocado consumido com a história. Miar muito pode ser complicado por aqui (não sei se não me alteram a voz com inteligência artificial). Pronto. Acabou. Estou cansado.

Okay, estou mortinho por contar outra situação histórica! A Pipoca foi ao veterinário pela primeira vez e foi examinada da cabeça aos pés. Acho que lhe devem ter feito o mesmo que me fizeram na última vez que lá fui, porque veio a queixar-se de um termómetro colocado num sítio onde não é suposto. Penso que tiram a temperatura ou assim. Os humanos são mesmo estranhos. Rnhauuu. 

Miau, estou mesmo cansado de miar no assunto. 

Inteligência artifelina...

Agendar para amanhã...

E publicar ...

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Os humanos, cá em casa, apreciam muito a vista da janela da cozinha. Veem o eucaliptal e vários animais que aí habitam, como coelhos bravos e, ultimamente, um coelho grande, gordo, branco e amarelo. Dizem que fugiu de alguma coelheira vizinha. Dizem ainda que está bem tratado e que constuma mordicar folhas tenrinhas na companhia dos outros coelhos, pequenos, mas bravos. Os humanos falam que só se conseguem ver bem os coelhinhos bravos quando estes fogem, pois, como são cinzentos, o que os denuncia é, precisamente, o pompom branco do rabo. Humpfff. E divertem-se a contar um, dois, às vezes, três, pompons brancos, a saltitar, entre as carumas e arbustos! Pru Pru Pruuuu.

Infelizmente, não consigo ver nem miar nada de divertido porque não me deixam subir para a janela da cozinha. 

Quem tem vindo à janela, embora do lado de fora, é o Amado, o gato da vizinha. O finório arma-se em esquisito e quando é avistado à janela finge que não é nada com ele.

Na última "aparição", falou comigo e passou o tempo a lamentar-se da sua vida. Parece que a vizinha brasileira está com problemas de dinheiro e que o Amado gato não tem visto muita comida. Deu-me pena e deixei-o desabafar: 

Acho que o casamento tem de ser adiado, mas o Amado gato da vizinha brasileira ainda não teve coragem de contar nada à Pipoca. 

A vida de um gato dependente da economia? Onde é que já se viu?!

Sinto um vazio. 

Vou comer.

Autoria e outros dados (tags, etc)


foto do autor



Arquivo



Mensagens