Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Livro Pensamento

O Livro Pensamento

Seg | 19.06.17

A incrível e triste história de uma sombra

edite
A insurgente sombra grita, em desespero mudo, profundamente abalada pelos sonhos que trespassaram os seus olhos inexistentes. Deixa para trás a luz envolta em seda de papel. Mirra a vontade, aparentemente, nublada na conversa suscitada pela mulher, em pranto, mirrada na inércia dos seus sapatos pretos de verniz. A insurgente sombra grita em desespero surdo e sai cá para fora a negra banalidade, o dualismo em duas versões:a dos sapatos pretos dos outros e a de quem escolhe (...)
Seg | 22.05.17

Somos sem saber

edite
Sou alma e fim, sou sentimento, a essência, e a quimera. Talvez procure, na estranheza, a beleza. Mas como explicar a palavra que lavra a língua na míngua do que esquecemos? Sabendo que a escola da eternidade está encerrada... cabe-nos agora descobrir... o trilho ou o caminho da verdade.      
Sab | 31.12.16

Primeiro desejo para 2017 : que NADA FALTE!

edite
Esta é a frase de inspiração para o ano 2017! Mas, às vezes, a imaginação falha e não ocorre nada. Então surge uma espécie de vazio e não há palavras que preencham o ecrã...  Assim, o meu desejo, para o Novo Ano, é que nada falte: nem saúde, nem paciência, nem amigos, nem dinheiro, e nem mesmo inspiração. Se nada faltar, teremos o necessário para o Brainstorm. E o que é o Brainstorm, além de imaginação e de escrita torrencial? O brainstorming (literalmente: (...)
Ter | 20.12.16

O sentido da vida

edite
 O céu escureceu na mente da vida desesperada sem ti, e sem nada.   Era uma espécie decadente, nessa estrada, sem mim, e sem nada.   Insegura, apenas via o céu, e seguia, perene,sagrada, a linha invisível do nada.   Dessa vida  sem cores estelares, constelações ou terra, vivia um sonho desafinado, do passado.   Mas eis que surgiu um sentido e na palavra nós O verdadeiro Amor.
Qui | 17.11.16

Enigma

edite
no sossego vago do leito, escondo, debaixo das cobertas, o fervor. oiço um restolhar. espio devagar, sem olhar,a página de um novo romance de amor. a luz esquálida, dentro do quarto,transportouuma luminosidade, e a visão vertidada alma disparouo alarme da ilusão. alguém está ali?ou é só a escuridão? ent (...)
Sex | 04.11.16

Nos dois sentidos, o início é o fim

edite
? Fim  audacioso ou omodernismo  a desentesar a palavra?!arrefece-a em ardósia oudesperdiça-a em ambrósia, em ponto edulcorante, com imaginação, rima perfeitano branco do nada,e, sem segurança, desleita a estrada; entra em contramão-do-sabernas dúvidas por esclarecere, na (...)
Qua | 26.10.16

Fotografia da alma

edite
Quandocaminhares curvado pelo ónus do espírito[pai]edificareium empedrado de pensamentos polidos,ondeeliminarei os minutos do horror e[os sonhos urdidos]nateia viva da angústia, cortarei cada fio frágil[da memória]enão estenderei a mão enão exigirei a tua (...)
Sex | 21.10.16

Questão atroz

edite
Quando, na força das palavras não ditas, surge ainsatisfação inútil?Eis a desdita tristeza que se apressa numa lágrima fútil.Já nada ocupa o seu ser, a não ser uma espécie de doença,cinzenta, em forma de questão. Quan-do, nestas sílabas silencia a atençãoque dedica à (...)
Ter | 11.10.16

A inspiração fugidia

edite
Quando não encontro inspiração, procuro viver um dia de cada vez. Sem pressa. Apenas um dia de cada vez.Mais rapidamente morria o vento que tentou soprar a fugazDificuldade de concentração. Procuro sonhar um pouco.Sem pressa. Apenas um sonho de cada vez.Um dia alcançarei a (...)
Seg | 03.10.16

O tempo

edite
Este tempo (in)certopode provocar (in)certezas.É que não podemos perder tempoou ter tempo para surpresas.É que não podemosganhar tempo ou perder .É que não há tempo,sem tempo para viver.Algum tempo,é viver um pouco.Não aproveitar o tempo,é ser louco.Mas o meutempo é teu,Como (...)