Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O Livro Pensamento

O Livro Pensamento

O Diário Oculto de Nora Rute, de Mário Zambujal | Livro secreto # 1 |

nora rute.jpgEste foi o primeiro Livro Secreto que chegou à minha caixa de correio. Trata-se de o diário de uma jovem que, no ano de 1969, vai relatando os seus segredos escândalos, bem como alguns acontecimentos. A ida do homem à lua é um deles e penso que, mesmo quem não viveu naquele período, pelo menos já ouviu falar de algumas coisas. Lembro-me especialmente de uma professora contar situações relacionadas com a minissaia e com as calças à boca de sino. Era comum as jovens serem castigadas pelos pais ou expulsas das escolas se aparecessem com os trajes da moda revolucionários . Apesar disso Nora é, a meu ver, uma exceção pois pertence a uma classe social superior. Ela tem uma rebeldia (própria dos anos 60) e, apesar do pai "torcer o nariz", usa a minissaia sem qualquer pudor ou vergonha. 

O que gostei menos no livro? A  parcimónia nas palavras, os capítulos pequenos e a rapidez com que se lê a história. Parece positivo (e é de certa forma) mas não me fez sentir especialmente desafiada.  

 

Sinopse: Nora Rute é uma personagem de romance e, ao escrever o seu diário, vai escrevendo, no desconhecimento do que virá a seguir, o seu próprio romance. Ao mesmo tempo, acrescenta-lhe o registo de acontecimentos e usos que marcaram um ano (1969) desde a chegada do Homem à Lua à moda da minissaia, das manifestações estudantis a guerras em África, aos bares e cafés de Lisboa.

Narrativa de marcada originalidade, O Diário Oculto de Nora Rute coloca os leitores no caminho irrequieto de uma jovem que desafia as regras, as de uma sociedade machista de um pai austero. Predominam as personagens que são membros da família, não só uma misteriosa tia Nanda, a prima Mé mas um quase desconhecido que parece ter conquistado, em definitivo, o amor de Nora Rute. E um primo ribatejano que lhe revelará o reverso das luzes e sombras da cidade.
Ao colocar-se na sua mente de uma forma travessa, Mário Zambujal, sem abandonar o seu estilo próprio de escrita, incorpora-o no espírito e na conduta de uma jovem que descreve no seu diário a agitação dos seus dias.

7 comentários

Comentar post