Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

O Livro Pensamento

O Livro Pensamento

Dom | 25.09.16

Línguas-de-gato | O Pedro, o facebullying e os outros # 4

Um gato pode afiar as unhas, ou não? Bom. A minha dona anda um bocado aborrecida e eu, para a animar, assim que acordei de mais uma sesta, em cima da sua camisola preferida, fui ter com ela e fiz-lhe o meu olhar de gatinho patas fofas. Parece que resultou. Bom. Aqui vamos nós! Depois de dormir, dormir e dormir, esta representação do olhar é inversamente proporcional aos olhares que lanço sobre certas coisas que vou ouvindo. Porque sou um gato atento.Porque tenho uma costela viking e ando por cá há mais tempo do que vocês pensam. Sou um “desbravador de mares” e, por isso, vou desbravar uma ideia que ando a congeminar. Então, um Pedro cancelou a apresentação de José António Saraiva, porque o livro lançou uma grande polémica nas redes sociais e nos media. Depois, o outro Pedro, que escreveu um texto inédito, incluído num manual escolar do primeiro ciclo, está envolto noutra polémica, onde? Nas redes sociais. Ora, isto exige uma reflexão ponderada. Para começar, há um certo facebullying, em que algumas pessoas instrumentalizam outras. Se não estiveres bem, mais ninguém pode estar, então vai daí mais um comentário. Tungas, que é bom para a tosse! Este tem sucesso, então vai daí mais outro comentário. Tungas,que já almoçaste! Todos ufanos, aquecem a alma e os dedos com opiniões cheias de idoneidade. No fim de contas, o povinho engole tudo. Acredite quem quiser,estamos no século XXI, mas estes assuntos estão envoltos em polémica. A minha reflexão apurada, somou dois mais dois, encontrou um sentido para estes acontecimentos de destaque. O sentido é: devem olhar para um livro que fala de coisas dos políticos, mas esquecerem os impostos; devem preocupar-se com os meninos e meninas, que não aprendem a ler (no primeiro ano todos sabem ler e senão sabem deviam saber), mas se eles pedirem um telemóvel topo de gama, para não ficar mal, nem atrás do colega, bora esquecer esse detalhe, por demais estúpido e insignificante. Face it!

E não digam que isto é cliché, é o que é, e agora vou ali para o sofá lamber uma orelha.

Até à próxima.