Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




história de uma gaivota.jpg

Antes que pensem que ando obcecada com gatos, relembro que pertenço a dois Clubes de Leitura e, para o Clube de Leitura Conversas Livrásticas, no mês de fevereiro o tema foi: animais. Eu selecionei apenas dois livros pequenos, este, o do Gato Malhado, e o conto de Edgar Allan Poe (aqui).

A história da gaivota e do gato é, além de uma fábula, uma linda lição, uma vez que dois seres tão diferentes são unidos na amizade por uma promessa. Ao mesmo tempo a história aborda um assunto sério que é o da poluição. 

Zorbas, um gato grande, preto e gordo, mora numa casa perto do porto de Hamburgo. Numas férias, Zorbas fica em casa, sozinho, e quando estava a apanhar sol na varanda, cai ali, mesmo à sua frente, uma gaivota moribunda. Esta, foi apanhada pela maré negra, e antes de morrer, põe um ovo e faz três pedidos ao grande gato. Zorbas, que é um gato de palavra, cumprirá as suas promessas: não comer o ovo, tomar conta da gaivota, e ensiná-la a voar. Para isso terá a ajuda dos seus amigos Secretário, Sabetudo, Barlavento e Collonello.

Gostei muito desta história, porque ensina a importância da amizade e das promessas, e porque tem momentos divertidos, nomeadamente, com o gato Collonello que costuma miar palavras em italiano e queixar-se dos outros tirarem os miados da sua boca.

Posto isto, fiquei muito surpreendida quando encontrei expressões que me fizeram lembrar as "Línguas-de-gato" e eu nem conhecia o livro!

Miar a língua dos humanos é tabu. Assim rezava a lei dos gatos, e não porque eles tivessem interesse em comunicar com os humanos. O grande risco estava na resposta que os humanos dariam. Que fariam com um gato falante? Com toda a certeza iriam encerrá-lo numa jaula para o submeterem a toda a espécie de provas estúpidas, porque os humanos são geralmente incapazes de aceitar que um ser diferente deles os entenda e trate de se dar a entender (pág.113).

 

Sinopse: Esta é a história de Zorbas, uma gato grande, preto e gordo. Um dia, uma formosa gaivota apanhada por uma maré negra de petróleo deixa ao cuidado dele, momentos antes de morrer, o ovo que acabara de pôr.

Zorbas, que é um gato de palavra, cumprirá as duas promessas que nesse momento dramático lhe é obrigado a fazer: não só criará a pequena gaivota, como também a ensinará a voar. Tudo isto com a ajuda dos seus amigos Secretário, Sabetudo, Barlavento e Colonello, dado que, como se verá, a tarefa não é fácil, sobretudo para um bando de gatos mais habituados a fazer frente à vida dura de um porto como o de Hamburgo do que a fazer de pais de uma cria de gaivota…
Com a graça de uma fábula e a força de uma parábola, Luis Sepúlveda oferece-nos neste seu livro já clássico uma mensagem de esperança de altíssimo valor literário e poético.

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Imagem de perfil

De Chic'Ana a 27.03.2017 às 08:34

Nunca li, mas deve ser um livro muito interessante! =)
Beijinhos
Imagem de perfil

De Edite a 27.03.2017 às 20:23

Lê-se muito bem e tem umas ilustrações espetaculares. 
Image
Imagem de perfil

De HD a 27.03.2017 às 18:52

A sério que não conhecia, mas fiquei super curioso :)
Imagem de perfil

De Edite a 27.03.2017 às 20:25

É do plano nacional de leitura e é muito giro! 
Imagem de perfil

De HD a 27.03.2017 às 20:51

Mesmo que não gostasse de gatos, iria gostar desta história ;p
Sem imagem de perfil

De Bárbara Ferreira a 27.03.2017 às 19:50

Li este livro há muitos anos, é tão bonito! Comprei em espanhol numa ida recente a Madrid para reler. Boas leituras! :)
Imagem de perfil

De Edite a 27.03.2017 às 20:26

É mesmo muito bonito! Tem ilustrações lindíssimas e eu adorei a história.
Image
Imagem de perfil

De Constança a 28.03.2017 às 13:16

Boa tarde. Parece-me ser um livro bastante interessante. Iremos fazer uma referência noticiosa no nosso blog www.lovecats-universofelino.blogs.sapo.pt. Boas leituras.  

Comentar post



foto do autor



Arquivo



Mensagens