Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 
Quando caminhares curvado pelo ónus do espírito
 
[pai]
edificarei um empedrado de pensamentos polidos,
onde eliminarei os minutos do horror e
[os sonhos urdidos]
nateia viva da angústia, cortarei cada fio frágil
[da memória]
enão estenderei a mão
enão exigirei a tua atenção para as fotografias
[a preto e branco]
Eos espinhos, deglutidos na garganta em trevas, devorarão as lembranças que
[esmoreceram e]
 de mim se alongaram os segundos  da hora derradeira,
quandodestruístes, nos sonhos,  a carneoculta da mãe
[dos olhos da (v)ida]
 Esquecestes  do ser imberbe gerado das células paternais…
Mas eu repudio essa herança e a fria despedida
finalmente
[a dádiva de amor a um filho]

Autoria e outros dados (tags, etc)



foto do autor



Arquivo



Mensagens