Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Flores.jpg

Autor: Afonso Cruz
Ano:2015
N.º de Páginas: 275
Editora: Companhia das Letras
 
Sinopse: Um homem sofre desmesuradamente com as notícias que lê nos jornais, com todas as tragédias humanas a que assiste. Um dia depara-se com o facto de não se lembrar do seu primeiro beijo, dos jogos de bola nas ruas da aldeia ou de ver uma mulher nua. Outro homem, seu vizinho, passa bem com as desgraças do mundo, mas perde a cabeça quando vê um chapéu pousado no lugar errado. Contudo, talvez por se lembrar bem da magia do primeiro beijo - e constatar o quanto a sua vida se afastou dela - decide ajudar o vizinho a recuperar todas as memórias perdidas. Uma história inquietante sobre a memória e o que resta de nós quando a perdemos. 

Opinião: "Viver não tem nada a ver com isso que as pessoas fazem todos os dias, viver é precisamente o oposto, é aquilo que não fazemos todos os dias", eis uma citação que diz muito com tão pouco. Para começar, já passaram alguns anos (não sei quantos) desde que li um livro que me tocasse. Mas aconteceu com esta leitura. A riqueza das palavras é temperada pela sua súbtil simplicidade e, talvez por ser possível "tocar" cada uma dessa palavras, sentimos algo especial.
"Altitude", a meu ver, é aquela em que  sabemos que as nuvens estão lá mas não as podemos apalpar; em que sonhamos mas a realidade esmaga o peito como pedras. Assim sendo, numa história que começa com a morte do pai do narrador, em que se fale em separação e em perda da memória do vizinho, a maestria nas palavras arrebata-nos por completo. Ou seja, comentar muito mais seria estragar o que está muito bem feito.

 

Fui presa três vezes por causa das palavras. Podia esconder coisas incríveis em palavras tão banais que até me dava dores de estômago. Dizer sapatos ou pão ou sol poderia conter tantos significados. Ou simplesmente sardinha. Um peixe tem muitos nutrientes, não sei nomeá-los a todos, mas com as palavras acontece o mesmo. Têm óleos, vitaminas, proteínas, são a sua maneira de ser muito mais do que aquilo que são. Têm espinhas, quem é que nunca encontrou palavras com espinhas? Nadam, todas elas. Podemos olhar para uma frase e percebemos que aquilo é um mar, uma maneira de ser feroz, de navegar, de viajar, de ter peixes, de ter lágrimas. Eu acreditava que as frases eram armas capazes de mudar, de lutar, de resistir. Armas capazes de disparar um futuro (pág. 90).

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


12 comentários

Imagem de perfil

De Chic'Ana a 11.01.2017 às 09:01

nunca li este título, mas gostei muito da tua opinião =)
Beijinhos
Imagem de perfil

De Edite a 11.01.2017 às 21:07

Afonso Cruz é um escritor brilhante. Adoro a maneira como usa as palavras e as torna acessíveis ao leitor. Tens de ler. É muito bom e recomendo.
Beijinhos


Imagem de perfil

De Magda L Pais a 11.01.2017 às 16:05

Afonso Cruz é muito muito bom. Estou a ficar deveras encantada com a escrita dele. 
Imagem de perfil

De Edite a 11.01.2017 às 21:05

É muito bom mesmo. Adorei a escrita e os personagens. O Sr. Ulme com a sua "Altitude" e "Entremos mais na espessura", vai ficar na minha memória.
Beijinhos
Imagem de perfil

De Maria Mocha a 12.01.2017 às 00:09

Obrigada pela partilha.
Imagem de perfil

De Edite a 13.01.2017 às 21:03

Não tens de agradecer. Quando gosto, gosto mesmo!
Beijinhos
Imagem de perfil

De Sandra a 13.01.2017 às 15:15

Quero muito ler este livro :)
Imagem de perfil

De Edite a 13.01.2017 às 20:56

É muito bom. Adorei. Assinalei várias frases. E não sei bem porquê mas a forma como descreve coisas, a escolha de certa palavras simples, e as ideias deixam marcas. Tem também capítulos pequenos, o que leva a que a leitura seja fácil e leve.
Tens de ler. Eu aconselho.
Beijinhos
Sem imagem de perfil

De Maria Glória D'Amico a 13.01.2017 às 17:34

Pela leitura, já entendo com sendo muito interessante, especialmente, pela tua opinião. 
Imagem de perfil

De Edite a 13.01.2017 às 20:50

É fantástico. Tens de ler. Sei que este autor é muito apreciado aí, no Brasil.
Beijinhos
Imagem de perfil

De Existe um Olhar a 15.01.2017 às 13:47

Desconhecia, mas pelo que escreves deve ser um livro que nos prende.
Talvez um dia o leia, mas tenho aqui tantos ainda por ler, que vai demorar o seu tempo.


Beijinhos Edite
Sem imagem de perfil

De Isaura Pereira a 17.01.2017 às 16:30

Olá!
Adoro Afonso Cruz. Li este livro há algum tempo e gostei.
Quero ler tudo dele :)
Beijinhos e boas leituras

Comentar post



foto do autor



Arquivo



Mensagens