Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Crime e Castigo.jpg

Um livro que começa com um crime e em que estamos na mente de quem o vai cometer?! Sim, é isso mesmo. Esta foi a minha estreia com os clássicos russos (falha minha, eu sei, mas mais vale tarde do que nunca) e eu adorei a história, as personagens e o final. Foi tão bom voltar a ler um livro cuja história é tão, mas tão envolvente! Mas, uma vez que a pressa é inimiga da perfeição, quando fechei o livro fiquei plenamente convencida de que o terei de reler de forma a saborear cada frase e a tentar interpretar mais profundamente esse grande livro da literatura. Não me julguem. Sei que há aqui um "mix" de filosofia, psicologia, criminologia e de crítica social, que, na minha modesta opinião, teria de ser visto com outros olhos. Debruçei-me mais na psicologia, na culpa e na consciência do criminoso. No fundo, tentei entender Raskolnikoff e a sua teoria dos homens comuns e extraordinários. Para os homens comuns foi criada a lei. Para os extraordinários, como Raskolnikoff [e Napoleão], que estão acima da lei, um crime tem justificação quando a morte de um beneficia todos.

Dostoieveski leva-nos a questionar o bem e o mal,  o que é certo e errado, e descreve com minúcia a natureza, o sofrimento e a miséria humana.

 

Estamos na presença de um caso fantástico e muito sombrio; este crime tem a marca do nosso tempo, o cunho da nossa época, em que o coração do homem está torturado, em que se diz que o sangue "remoça", em que toda a vida se cifra na luta pelo bem-estar. O culpado é um homem de teorias, uma vítima dos livros (...).

 

Sinopse:Raskolnikoff, um jovem estudante de Direito a atravessar graves dificuldades económicas, decide matar uma velha agiota. Imbuído de um forte sentido de justiça social, vai executar o seu plano convicto de que é uma gesta digna apenas de homens extraordinários. Mas algo inesperado acontece, e Raskolnikoff acaba por perder totalmente o controlo da situação. Daí em diante, passará a viver atormentado por um fortíssimo sentimento de culpa, forma de inferno interior que não se extingue e exige expiação. Dostoievski imprime grande espessura e densidade psicológica às suas personagens, cujas motivações, sejam elas conscientes ou inconscientes, são exploradas de forma verdadeiramente inovadora. 

Autoria e outros dados (tags, etc)


20 comentários

Sem imagem de perfil

De vanessa a 20.04.2017 às 08:42

Curiosa por lê-lo Image
Imagem de perfil

De Edite a 20.04.2017 às 20:19

Já sabes que emprestoImage
bjs
Sem imagem de perfil

De vanessa a 20.04.2017 às 20:35

Tenho de arranjar um tempo para o ler Image
Imagem de perfil

De Edite a 23.04.2017 às 20:34

Tens de ler. Eu vou obrigar-te. Ahahahah (riso maléfico)
Imagem de perfil

De Sónia Pereira a 20.04.2017 às 10:34


É um livro fascinante. E essa edição tem uma capa fantástica. Tenho a edição da Relógio d'Água, mas não é tão bonita.
É uma daquelas obras que fica a «moer» na cabeça durante uns dias, deixa o leitor num limbo de dúvidas, questionamentos. Já li uns quantos livros de Dostoievski e este é, sem dúvida, o meu preferido.
Imagem de perfil

De Edite a 20.04.2017 às 20:18

Sim, também me aconteceu isso. Fiquei a pensar no livro durante algum tempo e a sensação foi a de que o devia ler de novo. Bem, espero vir a fazê-lo, mas tenho tantos para lerImage
bjs
Imagem de perfil

De Sara a 20.04.2017 às 11:55

Autores russos são vida xD
[nunca li nenhum que não tivesse gostado]
Imagem de perfil

De Edite a 20.04.2017 às 20:16

Fiquei fã. Tenho de ler outros. Por acaso aconselhas algum?
Imagem de perfil

De Sara a 21.04.2017 às 00:46

Tolstói, Gogol, pushkin, Gorki, Turgueniev, Nabokov... :)
Imagem de perfil

De Edite a 23.04.2017 às 20:32

Vou tentar ler todos, pois no clube de leitura falaram em tantos livros que me despertaram a curiosidade. Espero conseguir...
Bjs
Imagem de perfil

De Maria Mocha a 20.04.2017 às 16:25

Tenho este livro, mas ainda não ganhei "coragem" para o ler. E não há meio de conseguir acabar o "Guerra e Paz"... Tenho que ler mais, eu sei. O tempo é que não me chega para nada... Image
Imagem de perfil

De Edite a 20.04.2017 às 20:16

Guerra e Paz ainda não me atrevi a ler. É difícil e é preciso tempo e paciência.
Bjs 
Imagem de perfil

De HD a 20.04.2017 às 22:44

Confesso que ainda não li, mas só devo ter maturidade para o ler daqui a alguns anitos :)
Imagem de perfil

De Edite a 23.04.2017 às 20:29

Podes ler. Aconselho. É muito bom. Lê-se num instante. Se gostares, as questões de interpretação de algumas frases só com uma releitura. Há pessoas que lêm várias vezes assim como há pessoas que vêm um filme muitas vezes. Tudo porque é algo que marca. 
Eu adorei.
Bjs
Imagem de perfil

De HD a 24.04.2017 às 16:33

Sim, com essa perspetiva quase que me convenceste :)
Tenho aquela ideia formada que o autor é muito elaborado!
Obrigado, kiss*
Sem imagem de perfil

De Bárbara Ferreira a 21.04.2017 às 20:03

Também nunca li um russo de que não gostasse - embora tenha gostado mais de uns que de outros, é claro :) do Dostoevsky li este e pouco mais, e segundo percebo este é mesmo daqueles "fundamentais" (o senhor ainda escreveu bastante). Toda a trama de motivações, planeamento e a psique de Raskolnikov é fascinante!
Imagem de perfil

De Edite a 23.04.2017 às 20:25

Concordo. A parte psicológica é muito importante e as personagens são muito bem descritas.
Sem imagem de perfil

De Maria Glória D'Amico a 22.04.2017 às 04:23

Olá Edite!
Não li o livro, mas vi um filme que anda pelo youtube e gostei muito. envolve. A cena do crime é impactante, sabes bem. 
A tua descrição está ótima. 
Um beijo querida e ótimo final de semana. 
Imagem de perfil

De Edite a 23.04.2017 às 20:24

Muito obrigada por me visitar. Fico muito feliz. Gostei imenso deste livro e vou ler mais autores russos de certeza.
Beijinhos Image

Comentar post



foto do autor



Arquivo



Mensagens