Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




frase inspiracional 2017.bmp

Esta é a frase de inspiração para o ano 2017! Mas, às vezes, a imaginação falha e não ocorre nada. Então surge uma espécie de vazio e não há palavras que preencham o ecrã... 

Assim, o meu desejo, para o Novo Ano, é que nada falte: nem saúde, nem paciência, nem amigos, nem dinheiro, e nem mesmo inspiração.

Se nada faltar, teremos o necessário para o Brainstorm. E o que é o Brainstorm, além de imaginação e de escrita torrencial?

O brainstorming (literalmente: "tempestade cerebral" em inglês) ou tempestade de ideias, mais que uma técnica de dinâmica de grupo, é uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou de um grupo - criatividade em equipe - colocando-a a serviço de objetivos pré-determinados (aqui).

 

Para mim, o Brainstorm de 2016 foi profícuo e especial. Consegui extravazar os pensamentos que me enchem a cabeça. E é terapêutico, acreditem! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Livro 2016.jpg

Quando criei este blogue estava longe de imaginar todo o trabalho que dá. Adoro livros, desde histórias verídicas a tudo o que desafie a mente, pelo que me deparei com um enorme desafio. Conheci pessoas, muitas e simpáticas, escrevi bastante e aprendi ainda mais. Mas falando de livros, na altura, pensei que seria boa ideia procurar livros divertidos. Foi uma saga e conclui que o meu sentido de humor é difícil de atingir e que as gargalhas são cada vez mais preciosas e necessárias, de forma a animar as leituras e o dia-a-dia.  

Os livros lidos desde junho de 2016 (não estão por ordem de preferência e basta clicar na capa do livro para aceder ao respetivo post):

IMG_20160614_194303.jpgas luzes de setembro.jpgprojeto rosie.jpgtransferir (2).jpgIMG_20160630_124303.jpga loja dos suicídios.jpgIMG_20160616_130529.jpgmanifesto.jpgsubmissão.jpgmataram a cotovia.jpgimage.jpg  anne dos cabelos.jpg a felicidade.jpgo centenário.jpgo sino da islândia.jpggeração mil euros.jpgmitos.jpg9789722635240.gifdiário de edith.jpgo livro.jpgmiúda.jpgem teu ventre.jpgA Amiga Genial    a desumanização.jpgO Amor nos Tempos de Cólera

 

Dos 32 livros lidos, na íntegra, realço:

O mais divertido- "Furiosamente Feliz", de Jenny Lawson;

O mais chocante - "Maestra", de L. S. Hilton;

O que gostei mais- "A desumanização", de Valter Hugo Mãe;

O que gostei menos- "A Dádiva", de Toni Morrison.

E para o ano há mais.

 

Boas Festas!

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

20161228_195831.jpg

Autor: Raina Telgemeier
Ano:2015
N.º de Páginas: 213
Editora:Devir
 
Sinopse: Raina só quer ser uma aluna normal do sexto ano. Mas uma noite, depois dos Escuteiros, ela tropeça e cai, ferindo gravemente os dois dentes da frente.O que se segue é uma longa e frustrante jornada, umas alturas com aparelho e outras sem ele, cirurgia, um embaraçoso aparelho externo nos dentes, e até uma prótese com dentes falsos.
E para além disto tudo, ainda há mais coisas com que lidar: um tremor de terra enorme, confusão por causa de rapazes e amigos que afinal revelam que não são assim tão amigos.A história da Raina leva-nos desde o sexto ano à secundária, onde ela descobre a sua voz artística, descobre o que realmente significa a amizade e onde ela finalmente… sorri.

 

Opinião: Este livro, designado de novela gráfica, é mais direcionado para adolescentes, especialmente se vão usar aparelho. Aliás, ofereci-o, pelo Natal, à minha filha, uma vez que ela usa aparelho de dentes e gostava de de ler um livro Manga. Bem, este livro não correspondeu ao pedido dela (e não me perdoa!), mas a história é em BD e é inspirada na experiência da própria autora. Além do aparelho de dentes, foca as paixonetas, as desilusões com amigos e as mudanças físicas.Quem já passou pela adolescência, recordar-se-á da grande preocupação que é a de ser aceite e de ter amigos, não é verdade?
A leitura fez-se de forma rápida, demorei cerca de duas horas, e, satisfeita a curiosidade, fiquei a pensar no tempo em que me entretinha a ler BD. Como passou rápido!
 

raina.jpg

 Tirei da net (aqui).


 

Autoria e outros dados (tags, etc)

20161228_200151.jpg

Autor: David Safier
Ano:2011
N.º de Páginas: 277
Editora:Planeta
 
Sinopse: A apresentadora de televisão Kim Lange encontra-se no melhor momento da sua carreira, quando sofre um acidente e morre, esmagada pelo urinol de uma estação espacial russa. No Além, Kim dá-se conta de que, ao longo da sua vida, se limitou a acumular mau Karma: enganou o marido, descurou a sua filha e amargurou a vida de todos os que a rodeavam. Descobre então o seu castigo: está num formigueiro, tem duas antenas e seis patas… é uma formiga!
Kim não tem a mais pequena vontade de continuar a arrastar migalhas de bolos depois de ter passado a vida a evitar os hidratos de carbono. Além disso, não pode permitir que o marido vá afogar as mágoas da sua perda com outra. Só lhe resta, por isso, uma saída: acumular bom Karma, para ascender na escala da reencarnação e voltar a ser humana. Mas o caminho para deixar de ser insecto e se converter num bípede é duro e está pejado de contratempos.

Opinião: A Kim Lange, famosa apresentadora de TV, é demasiado ambiciosa e a família é sempre colocada em segundo plano. Quando ela morre, Kim tem de reencarnar e praticar boas ações de forma a acumular bom Karma, o que equivale a dizer que: "Para toda ação existe uma reação de força equivalente em sentido contrário". Assim, praticar o bem fará "limpar" as más ações. Ora, enquanto foi viva, Kim traiu o marido, negligenciou a filha e "espezinhou" os colegas de trabalho de forma a subir na carreira. Depois, quando morre, é-lhe dada a oportunidade de reencarnar numa formiga e nessa forma ela vê a filha, o marido e as pessoas com quem deveria ter procedido de outra maneira. Portanto, para obter bom Karma, é necessário que Kim (e o seu amigo Signore) pratique uma boa ação para alcançar o Nirvana. Ah, e morrer várias vezes...uma vez que isso não é tão simples assim.
Na minha opinião, a história faz-nos pensar um pouco naquilo a que devemos realmente dar valor, como a família, os filhos e a todos os seres vivos, por mais pequenos que sejam. Todos somos importantes! Mas, por tratar de assunto como a reencarnação e de algo espiritual, fiquei um pouco desiludida com uma certa artificialidade e infantilidade no tom dado à narração, como por exemplo, quando a Kim está impedida de contar a verdade e só consegue dizer: "todos os patinhos sabem bem nadar". Julgo que, provavelmente, se perdeu algo com a tradução...e espero que, por não ter rido à gargalhada, não apareça por aí uma formiga, um porquinho-da-índia, uma vaca, um esquilo, ou pior, uma cobra (com pernas?!).
A minha morte não teve graça nenhuma. E não foi só porque morri (pág. 9).
Morrer engolida pela Nina foi ainda mais patético do que morrer por causa de um urinol de uma estação espacial (pág. 72).

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

19105603_fzHCK.jpeg

 A Cláudia é a mulher que ama livros. Além do blogue, tem um canal no Youtube dedicado aos livros. Adora ler, escrever e ouvir música. Os livros são muito importantes na sua vida e já não consegue viver sem eles. Mas vamos lá conhecer um pouco mais sobre a Claúdia. Se ela tem um vídeo? Não, não há um vídeo com a entrevista, mas como não se pode ter tudo, que eu de vídeos não percebo nada, eis as respostas:

 

Desde que idade tens uma paixão por livros? 

C:Sinto um especial encanto pelas letras desde que aprendi a escrever as minhas letras. Quando comecei a ler, já gostava das histórias contadas, do mundo encantado dos livros. Desde sempre é a resposta exacta. 

 

Qual o tipo de livro que costumas ler?

C:Sou bastante ecléctica nas minhas escolhas. No entanto, dou preferência aos romances contemporâneos, clássicos e não ficção. 

 

O que gostas mais durante  a leitura? 

C:Gosto das emoções que um livro consegue transmitir-me. Gosto de encontrar-me nas palavras dos outros, nas personagens, nas histórias. Gosto do tempo que voa enquanto folheio as páginas de uma bela história. Do cheiro dos livros. 

Quais os fatores que influenciam a escolha de um livro? 

O autor, as recomendações e o facto de ser escrito por um homem ou mulher. Dou preferência aos livros escritos por mulheres, sobretudo mulheres que poucos conhecem e precisam de ser divulgadas.Também tenho em conta as recomendações de algumas leitoras com gostos literários parecidos com os meus. 

 

Descreve sentimentos que só um leitor entende. 

C:Esta é difícil. O sentimento de reconforto quando agarramos no novo livro do nosso autor preferido. O pedido em silêncio que o tempo demore a passar enquanto devoramos as páginas e ao mesmo tempo não queremos que termine nunca. 

 

As histórias, por vezes, têm uma enorme carga emocional. Já alguma vez choraste ou riste? Se sim, quais foram os livros em que isso aconteceu? 

C:Já! Já ri bastante, mas a maior tendência é chorar. Primeiro, escolho sempre livros com histórias dramáticas. Segundo, acho mais difícil fazer alguém rir e não ser vulgar. Chorei muito no final do livro "Fala-me de Um Dia Perfeito" da Jennifer Niven. Mexeu muito comigo o final deste livro. Não costumo derramar lágrimas, só emocionar-me. Este livro foi realmente excepção. 

 

O que dizem os teus livros? 

C:Dizem que não sou materialista e sou organizada. Gosto de oferecer os meus livros de forma a deixar espaço para os novos. Podia ter o dobro da colecção, mas prefiro que os livros sejam lidos do que fiquem parados na minha estante para os contemplar. Tenho os meus preferidos, com lugares cativos. Esses ficam para futuras releituras. Os meus livros estão organizados por editora e autor. 

 

***

                                               

 Muito obrigada, do fundo do .

livro com flor.gif

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/4



foto do autor



Arquivo



Mensagens